PARA BEATRIZ
Fala, Carol !

PARA BEATRIZ

Sabe filha… hoje você aprendeu algo muito importante. E eu também…

Hoje foi a festa de encerramento da sua escolinha. Uma festa sempre muito aguardada por você e que hoje tinha um sabor especial por ser sua despedida desta escola que foi sua segunda casa nos últimos 3 anos. Você estava muito animada, como sempre. Aliás, você adora se apresentar e faz tudo com muita graça e desenvoltura. Você ensaiou com entusiasmo, dedicação e alegria. Por vários dias. Na escola e em casa.

Quando chegamos ao auditório aonde aconteceu o evento, mandei fotos para a família e senti meu coração apertar porque essa vida de “morar longe deles” fica sempre mais difícil nestas situações. É que a mamãe ficou imaginando vários daqueles bancos vazios com seus avós, tios e primos pra ajudar o papai e a mamãe a bater palmas pra vocês. Mas enfim, a gente estava registrando tudo pra mandar pra eles curtirem milhares de vezes como sempre fazem. Bendita tecnologia.

Mas a mamãe (preciso confessar), já acostumada com sua sempre boa performance, estava mais ansiosa pela apresentação do seu irmão. É que ele é muito tímido e sempre que está em público, trava. Você sabe né?  Eu e a professora dele até prometemos doces e chocolates caso ele dançasse desta vez. E não é que deu certo? Ele fez tão bonito, filha. Como você sempre o incentivou. Foi lindo. Estávamos em êxtase apenas aguardando a sua vez pra fechar nossa despedida com chave de ouro. Seria perfeito.

E então sua hora chegou. As cortinas se abriram e lá estava você e seus amiguinhos. Felizes, ansiosos e lindos. A música começou e meu coração se encheu mais uma vez de um orgulho incrível por ver você se apresentar. Ah… preciso registrar aqui: como você tem molejo! Minha garota de ipanema desfilou atenta aos passos e concentrada na coreografia.

Mas então filha, um imprevisto aconteceu. Você voltava de um passo que precisava pegar pompons pra continuar e não achou os seus. Eles não estavam aonde você pensou que estariam. Faltou pompom? Algum amiguinho pegou dois? Sua cabecinha não deu conta de entender naquele milésimo de segundo. Você havia se preparado pra pegar o pompom e quando não o encontrou você se frustrou, não soube como agir. Você não havia ensaiado com esta possibilidade né? Então você chorou. E se envergonhou por ter chorado não conseguindo voltar pra coreografia que tanto sabia e ensaiou. A sua profe querida foi seu abrigo. E no colo dela você ficou até o final da apresentação dos seus amigos, que seguiram lindos até o fim da canção.

A mamãe? Ah minha filha… Eu quis pular naquele palco e te abraçar. Mas me contive da platéia acompanhando suas lágrimas. A minha alegria perdeu a graça naquele momento. E eu chorei também. Isso nunca havia acontecido em sua inúmeras apresentações e eu estava preocupada com sua decepção na despedida. Em como sua cabecinha estaria por não ter conseguido pela primeira vez.

Foi quando o papai, muito mais sábio que a mamãe, reforçou que a gente aprende também nas frustrações e me lembrou o quanto você é uma criança esperta e cheia de luz. Me disse que a gente devia aproveitar o acontecido pra te falar sobre a importância de saber lidar com os imprevistos, sobre não ter vergonha de chorar e sobre a arte do improviso. Que ao longo da sua caminhada você se frustrará muitas vezes ainda, que não encontrará vários pompons que deviam estar em seus lugares e precisará encontrar caminhos e alternativas para seguir.

Minha ficha enfim caiu:  resiliência filha! Aquela palavrinha que a mamãe ainda luta pra aprender e que sua escola querida nos deu como lição final para trabalhar em casa. A tão necessária habilidade para lidar com problemas, vencer as intempéries, superar obstáculos, seguir em situações adversas. Eu fiquei ali pensando sobre isso, em como conseguiria ser entendida por você no auge de seus 4 anos, de maneira leve, lúdica mas efetiva. Pra que você voltasse a sorrir, se animasse de novo e entendesse que tudo bem ter dado errado daquela vez. As outras turmas seguiram se apresentando e a mamãe estava bem distante dali.

Então a festa chegou ao seu momento final. Ahhhh, tinha a apresentação coletiva!? Eu havia me esquecido. Ainda teríamos você no palco outra vez. Ai meu Deus, como você estaria? No colo da professora? Ainda triste? Meu coração disparou quando a cortina novamente se abriu. Procurei alucinada por você. E te encontrei sorridente, cantando e dançando empolgada naquela nova oportunidade. Você estava feliz! Nenhuma mágoa com o que passou.

E foi assim minha filha que você me mostrou mais uma vez sobre como eu sei pouco sobre a vida e sobre você. A gente até voltou pra casa falando sobre tudo aquilo que devemos fazer quando imprevistos acontecem na nossa vida. Você se divertia repetindo pelo caminho a coreografia com os pompons que enfim encontrou, rindo de si mesma sobre a performance no colo da professora e me mostrando que mais importante do que se apresentar para todo aquele público, era dançar pra você mesma porque te fazia feliz.

Mas a grande verdade Beatriz, é que você aprende muito mais rápido que eu, porque você tem aquela leveza que não deixa as frustrações te impedirem de seguir. Então voa minha filha… busca tua felicidade, tropeça, levanta, ergue a cabeça. Você sabe que tem aonde pousar.

Te amo. Mamãe.

Você já viu esses?

DE DENTRO

O CUIDADO NOSSO DE CADA DIA

21 DE SETEMBRO DE 2010 | #COMPARTILHESUASMEMORIAS

BOLHAS E ABISMOS

SEGUINDO O CORAÇÃO

O QUE COMEMORO NO DIA DAS MÃES

DANDO VOZ E VEZ A OUTRAS “QUERÊNCIAS”

A SAGA DO PRIMEIRO POST

ATÉ BREVE, GABI!

E AGORA, DECOR DA VEZ?

26 Comentários

  1. Sabe Beatriz, vovó chorou junto quando viu o vídeo. Pensava em como estaria a sua cabecinha, mas ao mesmo tempo agradeci a Deus a oportunidade do seu aprendizado e fiquei tranquila, pois conheço bem seus papais e sei a base e os valores com que estão te educando. Carol minha filha tenho muito orgulho de você.

    1. Tive e tenho em vc a melhor escola pra tentar sempre ser o melhor que puder pra eles. Te amo!

  2. Que lindo Carol! Continuo aprendizado!

  3. Filha até compartilhei pq me vi em seu lugar voltando à infância de meus filhos…obrigada por compartilhar e nos dá uma oportunidade de grandes reflexões. Linda sua família e seu coração e a sabedoria do Wesley!!! Parabéns!!! Amo vocês!!!! Grande beiiijo.

    1. Tia Olinda amada, como eles nos ensinam né? Vamos tentando crescer e evoluir junto com eles. Obrigada pelo carinho de sempre. Beijos

  4. Que lindo Carol. Vc falou tudo, o que falta nos adultos é essa leveza, as crianças nos impressionam todos os dias com essa capacidade de voltar a sorrir rapidamente sem ressentimentos. Aprendo muito com elas lá na escola. Obrigada por nos confiar seus filhos esses 3 anos. Beijo Day

    1. Day querida, nós é que agradecemos por toda dedicação a nossa família. Eles sempre sentiram a escola como a segunda casa e fico feliz que tenham vivido esta primeira etapa da infância rodeados de amor e acolhimento.

  5. Lindo, Carol… obrigada pelo texto. Li e me emocionei com vc aqui! Que Deus continue abençoando vcs. ❤️?

    1. Lindona! Eu que agradeço por ter sua companhia por aqui, curtindo e compartilhando. Beijo no coração.

  6. Oi Carol querida! Que lindo este seu texto! Vc é uma mãe maravilhosa e inspiradora! Bjs

    1. Obrigada, Lê! Sou nada. Erro muito. Mas sigo tentando melhorar sempre por eles. Beijão.

  7. Muito emocionada! Amo vcs! <3

    1. Também amamos vc!

  8. Carol, que lindo! Adoro seus textos!!!!!
    Vc me inspira, sabia????
    Me deu uma grande vontade de ser mãe tbm!

    1. Ô Paula… fiquei muito feliz em saber disso. Se já bateu vontade… super indico! Meus filhos me transformam todos os dias. E sempre pra um pouquinho melhor.

  9. Lindo, sempre Carol.
    Mais uma lição por meio dos pequenos….
    Vai Bia, vai !

    1. Obrigada amiga! Vai Bia, vai!

  10. Iracema Maria dos Santos Fonseca

    Quanta sabedoria gente, sou sua tia mais velha, sou sua madrinha, e também aprendi mais um pouco hoje, viu Carol, viu Beatriz, Parabéns. Amo voces. beijos

    1. E a gente vai morrer aprendendo né madrinha? Te amo!

  11. Oi, que lindo Carol…lendo e chorando aqui… Felicidades sempre para você e sua família… beijos

    1. Obrigada Claudinha. Adoro ver vc sempre por aqui. Beijo no coração.

  12. Que mensagem linda Carol !! Parabéns pelo lindo exemplo e ensinamentos… ❤️❤️❤️❤️

    1. Obrigada, Mic!

  13. Carol sua linda!!! Que saudades de todos vocês… confesso que nunca havia parado para ler seu blog, e como estou arrependida pela demora, e feliz pela oportunidade de lê-lo agora!!!! Sua história é algo que vive em mim… te admiro pela volta por cima que deu… Seus textos são ótimos (e como…)!!! Acabo me identificando muito com você no quesito maternidade… felicidades!!!

    1. Que delícia ler isso Alessandra. Obrigada pelo carinho viu! A maternidade nos transforma e o amor é o que nos une. Será ótimo ter sua companhia por aqui. Beijo grande.

Deixe seu comentario

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *